segunda-feira, agosto 15

Talvez

 
Talvez

A gente vive o talvez tão de perto,
que, às vezes,
me dá vontade de separar suas sílabas
e acabar com ele
de tal vez!

(Carla Fernanda) 

Ricardo Steil,

Atendendo seu desejo, eis o meu Talvez.
E que de uma só tal vez,
consiga o lugar só seu!
Parabéns por mais um prêmio!
Esse do LiteraCidade
com o poema "Grossas Paredes"
do seu segundo livro de poesias
"A Flor da Pele".
Obrigada por tantas Tais Vezes,
estares presente na minha poesia!

Carla

32 comentários:

Mafia Sonora disse...

E que o talvez possa sumir então, e virar de vez não é mesmo, beijão Carla.

silvo disse...

Tal vez, tal vez,Felicidades, besos

✿ chica disse...

GENIAL! Tão vrdadeiro isso e foste brilhante ao separar essa palavrinha.Adorei!

E claro a interação de Ricardo ficou maravilhosa! beijos,tudo de bom,chica

Everson Russo disse...

E que essa tal vez chegue logo e traga a paz,,,a serenidade pra poder seguir,,,grande beijo de bom dia pra ti querida...

CIELLO disse...

conseguindo finalmente voltar a minha rotina de leituras.... e passando por aqui, casa do sino do vento, sentidos e sensações sempre presentes!

obrigado... e bjos

Wanderley Elian Lima disse...

Talvez, um dia todos se sentirão iguais.
Bejux

Anônimo disse...

Carla,assim fico sem jeito. Obrigado pelos elogios, o carinho e por postar este belíssimo poemeto. Obrigado pela palavra amiga quando mais preciso. Enorme beijo ;-) Ricardo Steil

Vivian disse...

Bom dia,Carla!!!

Adorei o poema!!E usamos tanto o talvez...
Linda interação!!
beijos!!

Simone Martins2 disse...

Bom dia Carla, quem sabe ou talvez, um dia pudessemos deixar desse, tal vez, e criarmos uma poesia a duas maos? Gostaria muito, talvez, de ver o resultado: duas mulheres,em um tal vez bem elaborado...O que será que talvez possa dar de errado? To esperando pelo seu recado, aceitas ou nao? Para nós seria como um novo aprendizado e nao quero merecimentos, so quero me testar mesmo...bjin e ficarei no aguardo de tua resposta, por favor, ve se nao demora ou quem sabe, talvez....

Toninhobira disse...

Menina que jogo lindo na palavra.Claro que viajei neste talvez que tantas vezes se apresenta em nossa vida.Lindo isto.Bju de luz.

Ricardo Steil disse...

Carla,assim fico sem jeito. Obrigado pelos elogios, o carinho e por postar este belíssimo poemeto. Obrigado pela palavra amiga quando mais preciso. Enorme beijo ;-)

Ricardo Steil disse...

:-) Bom dia linda

orvalho do ceu disse...

Olá, querida Terezinha
Estive viajando por 20 dias e estou com as visitas em "dívida"... mas vou, aos poucos, recuperando o contato e apreciando o seu Blog que tanto gosto de fazer...
Espero que tudo esteja na perfeita paz!!!
O meu apreço fraterno
Deus seja a sua Força!!!
Fraternalmente,
Roselia (Orvalho do Céu)

Guará Matos disse...

Vir aqui não é com talvez e sim sempre de vez.

Bjs.

Antony Sampayo disse...

Podríamos remplazar el tal vez por claro que lo haré, je je je.

Besos.

Camille disse...

o talvez muitas das vezes irrita! hehehe
bjs

Leonel disse...

Esta será a tal vez em que o talvez será finalmente substituído...pelo quiçá!
E continuaremos em cima do muro...
Hehehehe!
Abraços, Carla!

Leonel disse...

Este dia, será a tal vez em que finalmente o talvez será substituído...pelo quiçá!
E continuarás em cima do muro!
Hehehehehe!
Abraços, Carla!

Fred disse...

O bom do talvez é que ele abriga todas as possibilidades!!! Valeu, Carla! Bjz!!

Poseidón disse...

Amiga Carla,

Um prazer passar por sua casa e lê teu post.

Convido-vos a ver o meu post de hoje .. eu apresento um livro maravilhoso, carinhoso, lindo escrito pelo meu amigo Fabiano Cavalcanti sobre as aventuras de um fã de Roberto Carlos Rey.

Beijos

Majoli disse...

Minha linda, que poesia mais LINDA!!!
Uma tal vez, você no meu blog chegou, espero que talvez você nunca suma...rsrs

Beijos com muito carinho no teu coração.

Liberdade. disse...

Olá Querida!

separe sim!
por causa dessa
pequena palavra,
deixamos grandes
momentos passar.
um beijo!

silvo disse...

Tal vez, tal vez, Felicidades, un abrazo

Rô... disse...

oi Carla,

prefiro uma tal vez várias vezes,
a
um talvez mesmo que uma vez só!!!
adorei...

beijinhos

Carla Fernanda disse...

Amigos depois do defeito do blogger, perdi 20 comentários só nessa postagem. Desculpem!
O importante é que tudo voltou ao normal. Nada como 1 dia depois do outro...

MARILENE disse...

Talvez é uma palavra mesmo ingrata. Cria ansiedade e uma sensação de que nada foi ainda definido. Sua proposição é bem apropriada.
bjs.

MARILENE disse...

Carla

Fiquei sabendo há pouco que a Van, do blog RETALHOS DO QUE SOU, indicou meu blog http://umcanto-recantodaalma.blogspot.com, para concorrer ao "blog da semana", prêmio com o qual foi agraciada, por mérito.
Sou novata nesse mundo da blogosfera e, se puder contar com seu voto, ficarei muito feliz.
Votação no
http://wwwwillblog.blogspot.com,
de quem partiu essa louvável iniciativa.

Bjs.

José Sousa disse...

Querida Carla!
Que bela poesia, adorei!
Talvez... tenha a sorte de vc nunca sumir de meu espaço.

Um beijo grande e bom fim de semana.

Simone Martins2 disse...

Boa noite, pense pelo lado positivo, Talvez tivessemos que voltar aqui e refazer nosso comentario...por minha vez, peço-lhe desculpas pelo meu atrevimento, mas eu me empolguei (ando assim ultimamente), nao me leves a mal, desculpe mesmo, de coração...esqueça pois para mim, ja faz parte do passado...bjin

Evanir disse...

Querida Amiga,,
Um feliz final de semana .
Vou amar sempre seus poemas ou versos ..
beijos meus,,Evanir..
www.aviagem1.blogspot.com

Simone Martins2 disse...

As borboletas coloridas
Se enfeitaram para ti,
Batem as asas num frenesi,
Desde o dia que te conheci.
Felizes com sua existencia,
Voam por todo quintal.
Pousam sob as flores,
Num gesto colossal.

Fiz esse versinho para pedir-lhe desculpas pelo mal entendido, mas senti que fui muito atrevida quando o convite eu te fiz...Me desculpa?

Carla Fernanda disse...

Que isso Simone, não me deves desculpas por nada. O atrevimento é bem vindo quando estamos falando de alçar voôs.
Lindos versos fizeste para mim!
Muito obrigada!