domingo, novembro 24

Presente

Outra hora eu vejo
Procuro saber detalhes
Que dias se passaram
O mês já vai acabar daqui a pouco
A resposta que espero não chegou
Importa muito
Suporto pouco
Pensei em sair correndo sim
Passar pela chuva cantando
Pisar no mato alto de pés descalços
Colher flores e levar até aí
Para enfeitar a sala vazia
Assar um bolo de leite
Torrar café
Passar perfume
Falar do que se passa e do que não passa aqui
O mundo anda é voando
Parada é a vida parece
Nas fotos da estante
Olho e escuto delas eu mesma
O tempo de ontem não existe
Estudo o presente estrangeiro
Sinto a pressa do rio correndo ao mar
Depois das curvas do caminho
Matou a sede de tantos
Prefiro pescar nas tarde de domingo
Acho que nem sei onde estão as iscas
Não tenho mais varas de bambu
Vivo longe dos bambuzais
Eram muitos ao longo do meu caminho
Imagino onde estariam os pássaros à noite
Escuto o barulho da rua sumindo de madrugada
Deixando tudo mais alto aqui no quarto
Enquanto não posso dormir ainda
Acordo e te deixo sossegado
Sem te tocar escuto seu sono
Encontro-te no sonho embaixo do sol
Olhando para a lua
Onde for a festa
Entre a cama e o lençol
Pouco espaço me sobra para deitar contigo
E gozar sozinha da noite sem ti
Trazendo-me imagens
Encantadas aos olhos
Faço poesia com elas
Entre as rimas existimos perfeitos
Amantes muito mais
Que amamos antes


Por isso
Quero ser doce
Tomara que fossem férias
E chovam versos amanhã de manhã
Para que eu pudesse escrever mais
Porque agora tenho que ir
Preciso lembrar-me de sorrir
Hora de partir
Onde está escrito
Sair? 

(Carla Fernanda)       

32 comentários:

silvo disse...

Camino, camino y alivio de las riberas, soledad poética, sonrisa, besos!

Jorge disse...

O presente é o melhor presente que a vida nos dá. A vida é uma luta contínua que devemos enfrentar da melhor maneira.
Um abraço,
Jorge

Ane disse...

Oi Carla!Tudo bem?
Gostei de teus versos!
Um beijo!

Anne Lieri disse...

Carla, a poesia é mesmo um momento de sonho e de fantasia! Lindos versos! bjs e boa semana,

eder ribeiro disse...

Não se sai qdo carregamos em nós a poesia. Bjos.

Mauro S disse...

Oi Carla, fotos do mundo, e 0,000 alguma coisa (risos), minhas, as minhas são de outubro, mês todinho, via Instagram e em 2012 postei também, já em novembro coloquei uma ou duas, não lembro, mas diante desse mar de fotos lindas... sei que o meu blog no Tumblr ficou fantástico, é uma viagem pelos olhos e cliques dos outros, pena que o limite diário de postagens é 250, e sempre estou caindo nele.

Que bom que já voltastes a comentar nos outros blogs, acho que foi um erro do Blogger.

Beijos, Mauro

lis disse...

Uma maneira bonita de versar sobre os dias presentes o cotidiano os desejos
os sentimentos mais simples,
um boa semana Carla
e abraços

Pedro Coimbra disse...

Gostei muito e fico à espera do amanhã em que escreverá mais.
Boa semana!!

Vera Lúcia disse...


E choverão novos versos a cada amanhecer nesta preciosa mente inspirada.

Gostei muito.

Lindo dia, Carla.

Beijo.

Camille disse...

que poema lindo! tem uma melancolia nele mt bonita!
bjs

Sachê e Bombom

Ana Maria Braga disse...

Legal o seu poema. Boa semana e obrigada pela visita. Bjs, Carla.

✿ chica disse...

Que linda tua poesia,Carla!beijos,ótima semana,chica

Élys disse...

Quem tem um presente lindamente poético, não vai sair.
Tenha uma linda semana.
Beijos.

Silenciosamente ouvindo... disse...

Na poesia tudo é possível.
É algo mágica que brota do sentir.
Só quem sente consegue escrever
poesia.
Boa semana.
Bj.
Irene Alves

Nilson Barcelli disse...

Belíssimo poema.
Adorei.
Carla Fernanda, minha amiga querida, tem uma boa semana.
Beijo.

MARILENE disse...

Entre rimas, a fantasia do belo. O presente é presente e como tal deve ser vivido. Que não lhe faltem chuvas de versos, pois os harmoniza com grande beleza. Bjs.

Marian disse...

Precioso Carla,un abrazo muy grande.
Dios te bendiga.

Fa menor disse...

E que chovam sempre versos pela manhã!

Bj

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Simplesmente sensacional, Carla! Muito bom mesmo! Beijos.

Daniel Costa disse...

Carla, que ritmo! Adoro este tipo de poemas, este teu parece-me um amor do bucolismo, em certos aspetos, em outros nem tanto. mas sempre belo.
Beijos

Ives disse...

Todas essa pequenas e grandiosas belezas que são necessárias, precisam ser resgatadas, levadas até a alma sedosa por poesia! abração

Amapola disse...

Bom dia.

Lindo, Carla! Parabéns.

Feliz semana.

Beijos.

Maria José Rezende de Lacerda disse...

Tudo por aqui é muito lindo. Parabéns. Bjs.

may lu disse...

Que lhe chova sempre palavras tão lindas quanto essas... Amei! Sou-lhe grata pela visita em meu cantinho. E vamos sim nos dar as mãos...
Tenha um dia de luz e paz! Grande beijo

Andradarte disse...

Passei para deixar um beijinho...
Mais um belo poema

♫*Isa Martins disse...

Nossa, você consegue escrever de uma maneira que prende e encanta, tantas nuances em um mesmo poema, gosto disso!
Beijos Carla <3

ONG ALERTA disse...

N. Poesia podemos colocar tudo...
Beijo Lisette.

Toninho disse...

Há saudosismo, há um esperar sem fim, mas as aguas do rio já não são as mesmas e nem nós.Mas saber do amanhã do qual não temos nenhum controle, mas que nos permite sonhar.
Lindo Carla e a saída é continuar rolando versos pelas serras e deixando que as rimas os encontre numa curva do rio.
Um abração amiga das Gerais.
Bjo de paz e luz nos seus dias.

Joaninha Musical disse...

Um poema muito lindo e escrito com bastante sentimento,super adorei,super lindo e encantador!!

Olinda Melo disse...


E o tempo não pára, não é? Pressa de chegar, pressa de partir, de chegar a algum lugar...depois de lá chegar, continuar a caminhada.

Disse uma das suas comentadoras que 'o melhor presente é o presente' e concordo plenamente. Acordar pela manhã, cheirar o perfume da vida, um sorriso nos lábios...e tudo de bom acontecerá por acréscimo.

Belo o seu poema e a análise que faz do nosso dia-a-dia.

Beijinhos

Olinda

Cris Henriques disse...

Olá Carla!

O melhor presente que Deus nos deu foi a vida, para que possamos corrigir os erros do passado. Mas em certos momentos é tão difícil viver que imploramos uma saída.

Beijos,

Cris Henriques

http://oqueomeucoracaodiz.blogspot.com

Isabel Passos disse...

Lindos versos! Não sabia que era poetisa. A sensibilidade com a vida faz com ela se torne mais vivida. Bj.