quarta-feira, setembro 28

Minhas Montanhas


Vista da minha cidade (MG)
Minhas Montanhas

A primeira leitura que pude fazer da morte, foi-me dada pelas montanhas da cidade plantada no meio do belo vale onde nasci. 
Depois que meu avô faleceu e disseram-me que ele foi para o céu, eu olhava para o alto e via-o tão amplo e vago de nuvens. Mas as montanhas não. Elas estavam ainda mais perto da terra. Talvez indo ao encontro do céu. Lógico.
Lembro-me que olhava para aquelas duas montanhas em especial, que eram avistadas do quintal da minha casa e ficava absorta, reverenciando meu avô ali. Não sei por quê, mas para minha pouca idade, era muito natural e perfeitamente explicável que a barriga dos mortos crescia e ficava estufada, formando as montanhas. Sentia, e ainda sinto, uma sensação enorme de proteção emanando daquelas gigantescas criaturas. E as outras inúmeras montanhas que existiam por lá, eu entendia que eram os outros que também já tinham ido para o céu e eu nem conhecia.
Então, sendo assim, durante bastante tempo, o vovô Carlos esteve dormindo abaixo daquela enorme montanha. Sempre tinha meus momentos especiais de encontrá-lo no horizonte do meu quintal. 

(Carla Fernanda)

47 comentários:

Majoli disse...

Como a inocência e pureza de uma criança é admirável.
Ver teu amado avô nas montanhas, te fazia sentir mais perto dele, e isso nada no mundo desfaz.
Tanto que ainda hoje, já mulher, ainda tens vivo na lembrança esse fato.
Lindo minha querida Carla.

Beijos de uma deliciosa quarta-feira.

silvo disse...

Me gusta la forma en que tu imaginación te llevó a sentir protección de la misma naturaleza que tu antepasado sintió seguramente, beijinhos!

Montserrat Llagostera Vilaró disse...

Hola amiga:
Que bella inocencia de niña, que imasginaba a su abuelo en las altas montañas.
Te leo directamente del protugués, pues los traductores no me gustan porque a veces no dicen las palabras exactas.
Por eso yo misma me traduzco al español lo que escribo en catalán.
Beijos, Montserrat

BlueShell disse...

Para uma criança a morte é perspectivada de um jeito que só ela entende: eu me identifiquei com seu texto...e adorei,
Muito bom, queria.
Bj

BlueShell disse...

Tantas vezes sinto assim...
Muito bom.
Bj

BlueShell disse...

Tantas vezes sinto assim...
Muito bom.
Bj

Severa Cabral(escritora) disse...

Minha querida!
Estou te convidando para prestar uma homenagem ao seu amigo Rodolfo com um comentário no meu blog,se gostares pode me add para trocarmos informações...
bjssssssssss

Rô... disse...

oi Carlinha,

depois de muitos problemas com meu blog,
estou voltando,
cheia de saudades,
lidar com a morte,nunca é fácil,
mas as crianças sempre arrumam um jeitinho
criativo e surpreendente para conviver melhor com a perda,
adorei sua postagem...

beijinhos

Su disse...

bom dia moça-poetisa...

me comovi aqui, viu! Lindo teu texto, deu uma dorzinha no coração, mas foi de saudades também... a gente é assim, né!? Que bom, embora exista a dor, a gente ainda consegue senti-la assim, em meio a natureza, bem debaixo dos olhos do nosso Criador...

Linda!

Um beijo grande pra ti!

Su.

Olinda Melo disse...

Olá, Carla

Este seu texto é lindíssimo e envia-nos uma imagem fantástica.Uma maneira de lidar com a morte ditada pela imaginação infantil, com o cuidado de ter o avô ali, relativamente perto e de forma palpável.

Gostei muito.

Beijos

Olinda

Everson Russo disse...

Fatos marcantes da vida onde escolhemos lugares pra poder dar asas ao imaginário que temos guardado no peito,,,e nada mais belo que montanhas,,,que tocam o alto de tudo no mundo...beijos de bom dia pra ti querida.

Felipe Paulo disse...

Bom dia Carla,

Tua história é encatadora, uma visão pura de criança. Quem já não imaginou que as montanhas nos levava até o céu, porém quanto mais subimos o céu fica distante. Ruim quando quem amamos tem de partir, quando somos crianças talvez não entendemos amplamente o que é a morte, aí buscamos com passar do tempo entender.

Adorei!
Bjs, Tenhas um abençoado dia!=)

Felipe Paulo disse...

Bom dia Carla,
Tua história é encatadora, uma visão pura de criança. Quem já não imaginou que as montanhas nos levava até o céu, porém quanto mais subimos o céu fica distante. Ruim quando quem amamos tem de partir, quando somos crianças talvez não entendemos amplamente o que é a morte, aí buscamos com passar do tempo entender.

Adorei!
Bjs, Tenhas um abençoado dia!=)

Vivian disse...

Bom dia,Carla!!

Que lindo pensamento querida...as pessoas que são importantes permanecem sempre conosco, não importa de que jeito...guardamos suas lembranças com carinho.E quando somos crianças temos formas bem especiais de reverencia-las.
Beijos querida!!

✿ chica disse...

Lindo e emociona ver como as crianças encaram as coisas tão simplesmente,não?
Nós adultos, complicamos! beijos,chica

Célia Gil, narciso silvestre disse...

Carla, tenho de felicitar-te também por este belo texto. Afinal é uma maravilha não só na poesia mas também na prosa! Adorei a forma como falaste das montanhas (que eu também adoro) e da intensidade do seu imaginário infantil, de uma grande riqueza! Provavelmente sempre houve dentro de ti uma potencial escritora! Bjkas

Carla Fernanda disse...

Querida Célia fico muito emocionada com seu comentário encantador!
Espero de coração corresponder pelo menos um pouco as suas belas palavras aqui postadas
Muito obrigada!

R. R. Barcellos disse...

Desta vez não tenho versos, Carla. Estou emocionado demais. Você buscou no meu íntimo uma lembrança quase esquecida.
Obrigado. Beijos.

La sonrisa de Hiperión disse...

Amiga siempre estupenda.

Saludos y un abrazo.

La sonrisa de Hiperión disse...

Amiga siempre un placer volver por tu casa. Geniales las cosas que nos dejas.

Saludos y un abrazo.

Adriana Vargas disse...

Olá, Também me sinto assim em muitas das vezes, com montanhas a frente de minha visão, ou além, com montanhas a frente dos meus sentimentos.

Olá, Meu nome é Adriana, é um prazer conhecer seu blog; sou poeta, escritora, e Gostaria de lhe convidar a conhecer o meu espaço; todo mês você terá uma chance de ganhar livros sorteados entre os seguidores do meu blog. Esta é uma iniciativa privada para incentivar os novos autores que são considerados anônimos no mercado literário; para participar, siga o blog e deixe um comentário -"quero participar da promoção dos novos autores!"
Um abraço e parabéns pelo blog! Adriana
adrianavargas.ocadv@hotmail.com

reptilio disse...

Hey menina

Espero caminhar mais silencioso
Um abraço e tudo vai bem
sorte

Ojala la vida sea llena de momentos especiales y felices

:D

Evanir disse...

Eu agradeço sua visita
A vida sempre une as pessoas no momento certo.
Que eu seja digna da sua amizade.
Nos momentos de aflição dividirmos nossas dores e pensamento
Que seu sonho e os meu sonhos seja abençoado por Deus.
Com nossa amizade e união possamos alcançar as estrelas.
De mãos dadas não terei medo da estrada a ser percorrida.
A minha fé iluminara nossos caminhos ,
E assim juntos seguirmos até onde existir vida.
Uma abençoada quarta feira.
Deus abençoe seu carinho.
Bjs no coração.
Evanir

Vera Lúcia disse...

Que fofo, Carla!
Achei super divertido você dizer que, na sua pouca idade, você entendia que "a barriga dos mortos crescia e ficava estufada, formando as montanhas".
Adorei a sua forma de relatar este fato marcante de sua vida.
Beijos.

Sonhadora disse...

Minha querida

lidar com a morte não é fácil para ninguém e muito menos para uma criança, embora por vezes o mundo delas da imaginação as protejas, adorei o texto, muito doce.

Beijinho com carinho
Sonhadora

ONG ALERTA disse...

As crianças e suas inocëncias, beijo Lisette.

Nómada planetario disse...

Las montañas siempre me fascinaron, sobre todo subir a ellas, tal vez porque me siento más cerca del cielo.
Besos.

Memória de Elefante disse...

Muito bonita a forma de assimilares a perda de teu avô, ali nas montanhas ele permanece atrave´s de teu olhar.

Um beijo

。♥ Smareis ♥。 disse...

Carla você me deixou emocionada com essa história, lembranças minha guardada me foi acordada lendo e relendo você. Beijos flor!

Smareis

Claudio Ariño disse...

Mi deseo para cuando muera es que arrojen mis cenizas al río.
Besos.

@ Escritora disse...

Oi Carla,

Vc escreveu este texto com uma pureza tao grande, que ultrapassou as barreiras do tempo...

Viajei ao passado junto com vc...e foi maravilhoso!

Bjos

Carla Fernanda disse...

Devo afirmar que este texto é verdadeiro nos mínimos detalhes amigos.
Obrigada!

Simone MartinS2 disse...

Clap...Clap...Clap!!
Alem das montanhas deve ter,
algum lugar tranquilo para se viver.
e quem sabe, poetisar como voce...Bjin

Amandio disse...

Boa noite!
São sentimentos que todos nós temos mas em visões deferentes, o seu texto traz a doçura e a leveza parabéns!
Em nome do Clube dos Novos Autores agradeço e convido para participar dos sorteios dia dez do dez, grato pelos seus comentários!
Atenciosamente: Amandio Sales Clube dos Novos Autores, http://clubnovosautores.blogspot.com/2011/09/estado-de-loucura_28.html#comments

Reinaldo Fonseca - Pascom Paroquial disse...

Olá! Que bom estar aki mais uma vez neste maravilhoso blog.

Todos nós temos um anjo protetor, que é o nosso Anjo da Guarda, dado por Deus para nos conduzir e guardar em todos os caminhos até o céu.

É maravilhoso sabermos que o Senhor, na sua infinita bondade, põe um anjo ao nosso inteiro dispor para nos servir e para que seja nosso pedagogo. O nosso anjo quer, no dia de hoje e de maneira muito especial, nos inspirar e encorajar a fazer o bem em todos os momentos.

Grande abraço na Paz e no Amor de Cristo,

Reinaldo

Everson Russo disse...

Um belo dia pra ti minha amiga, repleto de paz, carinho e muita poesia...beijos e beijos.

Vivian disse...

Olá,Carla!!

Minha querida deixo meu beijo e meu carinho!!!
Tenha um lindo dia poetiza!

Leonel disse...

As montanhas exercem fascínio sobre os homens, mais ainda sobre as crianças...
Abraços, Carla!

Antony Sampayo disse...

Tierno este relato,Carla, la muerte mirada desde la óptica de un niño; tiene mucha nostalgia, amiga.

Besos.

Carolina disse...

É uma história comovente, a imaginação de uma criança transformou as montanhas en seu avô ... que doce. As montanhas representam a força, a fortaleza, tem muito significado.
Beijosss!

Evanir disse...

A verdadeira amizade mora no
coração independente de distancia.
E seguem juntos pela vida inteira.
Enfim a amizade é um sentimento
muito além do amor.
È através da minha fé
e da sua amizade.
Que encontro forças para seguir sempre
com esperança e alegria de viver.
Um abençoado final de semana.
Beijos ternos e carinhosos.
Evanir

Maria Alice Cerqueira disse...

Querida Amiga
Abraço amigo de muito boa tarde!
Hoje vim agradecer a sua carinhosa presença lá no meu cantinho através de seus carinhosos comentários!
Pois;
Amizade é um laço fraterno que vai se conquistando pouco a pouco.
Amizade é um elo de Amor que vai se fortalecendo dia apôs dia.
Amizade requer uma sabedoria toda própria, para que ela cresça e amadureça.
Amizade é um sentimento de Amor que é perseverante nela mesma.
O que seria de nós sem este elo de Amor!
A amizade
Abraço amigo
Maria Alice

MARILENE disse...

E por certo ele estava lá, mesmo, sentindo sua SAUDADE. O céu pode não estar naquele imenso azul que nossos olhos alcançam, nem nas montanhas que escondem nossa visão, mas é para lá que caminham os corações inocentes das crianças.

Bjs.

Simone MartinS2 disse...

Boa noite, tem um selinho infantil de uma amiga, Beatriz, pra ti em meu blog., passa la e repasse, nao quebre a corrente, ela e uma linda poetisa de 09 anos e merece.

http://aindanaocresci.blogspot.com

Achei que voce sendo professora iria amar...sdds...volto logo, bjin e fique com DEUS!

Angela Fonseca disse...

Oi,'fessorinha querida! Estive no sítio, em meio às montanhas, por isso não passei por aqui antes. Amo-as por sua solenidade e solidez. Como diz Caetano Veloso, "quando se vê, ama-se imediatamente". Talvez seja mesmo o caminho para o céu. Beijos, Angela
http://noticiasdacozinha.blogspot.com

Sônia Amorim disse...

Quando criança nos ensinam coisas que carregamos para o resto da vida, que os mortos viram estrelas e estão sempre nos protegendo, e agora com as suas montanhas, adorei, é fácil acreditar em histórias que para a gente alivia muita dor e sofrimento, lindo post, beijos

Toninhobira disse...

Que lindo Carla, suas(nossas) montanhas ganharam uma vida lindissima nesta analogia nada infantil.Ai, deu saudade destas serras entre serras.Linda lembrança com saudade gostosa daqueles que vivem nos nossos sonhos e nos embalam em inspirações belas.Que estas montanhas estejam sempre assim, com esta barriga cheia.Que o homem nunca possa esvaziar.
Um abração amiga.
Bju.