sábado, agosto 6

A Vida Do Alto


 A Vida Do Alto 

Lembrei que aos domingos, depois do jogo de futebol, quando eu era bem pequena, voltava de carona do campo, nos ombros do meu pai. De lá, eu olhava a vida do alto e enxergava mais longe. Nós passávamos sempre por um atalho, numa imensa planície verde, e colhíamos florzinhas brancas para levar para a mamãe.  
Os bois ficavam todos parados ruminando a grama fresquinha e olhando-nos, até que atravessássemos a pinguela do Rio Doce, que possuía ainda naqueles dias, águas limpas e claras que deixavam transparecer o seu leito, cheio de areia grossa e pedrinhas lisas.
Nunca precisei daquele medo todo dos bois que aparecia quando tinha que passar através deles, em companhia de outras crianças. Eles sempre emprestaram, com todo o respeito que impunham, mistério e beleza ao meu cenário de infância; mas continuo imaginando o que eles poderiam estar pensando e sentindo ou, em outras palavras, chegará o dia em que o homem terá capacidade para conversar com os animais? 

(Carla Fernanda)

31 comentários:

Simone MartinS2 disse...

Bom dia Carla, e como é bom andar por sobre os ombros de nosso pai, que sdds. boa...Mas crescemos e agora, vemos a vida aqui debaixo, no chão, porem, sem medo...bjin e fique com DEUS!

Majoli disse...

Oi querida, linda e saudosa postagem essa sua.
Olhar a vida do alto, com a proteção de nosso pai.
Sei desse medo, pois também eu o tive, e muito.
Seria maravilhoso, se o homem conseguisse esse conversar com os animais, e não os maltratar tanto como o fazem.

Beijos de um sábado delicioso pra você.

Vera Lúcia disse...

Oi Carla,
Esta sensibilidade para entender e conversar com os animais já se mostra em algumas pessoas.
Vê-se que, com os cães, há uma troca muito
grande entre seus donos e eles.
Já vi reportagens bastantes significativas a respeito com relação aos macacos e outros animais, que agem como humanos ou até chegam
a dar lições de vida.
Mas acredito que este dia ainda se mostra
longínquo de acontecer, embora não impossível.
Tenha um lindo final de semana.
Beijo.

Bento Sales disse...

Carla, por mais que a infância tenha sido dura, percebemos que foi mágica e que nos arrependemos de querer ser adultos.

Parabéns pelo tema e pelo texto!

Abraços!

Silenciosamente ouvindo... disse...

Eu também gostava muito que meu pai me
pusesse aos ombros e andasse...Muita
saudade.
Não me esqueci deste blogue.
Voltei com prazer.
Bj.
Irene

Carla Fernanda disse...

Verdade Vera e que nossa capacidade humana seja sempre cada vez mais ampliada no sentido de sermos mais respeito e amor...
com tudo que nos cerca.
Beijos,
Carla

railer disse...

a gente cresce, fica mais maduro, mas é sempre bom relembrar momentos que marcaram.

R. R. Barcellos disse...

Bem, se pudéssemos falar com bois e frangos na certa seríamos vegetarianos. Se, além disso, entendêssemos a linguagem das flores e das plantas, viveríamos de água e de brisa... até o dia em que pudéssemos conversar com as fontes e entender o sussurro do vento...
Vai um espetinho de picanha aí?
Abração... e olha, também tenho saudade do tempo em que eu olhava o boi como bicho e não como fonte de proteína.

Carla Fernanda disse...

Barcellos, nos reinos da natureza temos classificações, espécies e hierarquias...nenhuma mais importante que a outra....cada uma no seu papel...mas penso que o reino animal tenha talvez capacidades, ou algo a mais que o diferencie, ou o coloque um degrau vital mais distinto do que os outros reinos.

Carla Fernanda disse...

E quanto à alimentação humana amigo, ainda teremos que evoluir e muuuuito...tanto na qualidade, quanto na quantidade....nesse sentido posso até dizer que muitos não sabem nem a hora que estão com fome...kkkkk....nè?

Carla Fernanda disse...

Talvez seja porque nasci no interior Barcellos, ou por quê não como carne vermelha, mas nunca pensei nos bois como fonte de proteína....

Camille disse...

que texto bucólico! adorei!
bjs

silvo disse...

Esperpo que llegue por nuestro bien, beijinhos!

Carla Fernanda disse...

De certo Silvo!
;D

Rô... disse...

oi Carla querida,

ontem postei sobre animais,
adoro tanto eles que chego a conversar,
não sei se eles me entendem,
mas temos uma relação deliciosa,
meu marido me chama
de São Francisco...
adorei ver a vida
do alto com você...

beijinhos

♥♥♥Ani♥♥♥ - Cristal disse...

Oi Carlinha querida


Que lembrança mais gostosa seu poema me trouxe agora!!!!
" De lá, eu olhava a vida do alto e enxergava mais longe".

Já senti essa sensação maravilhosa de enxergar mais longe, quando eu era pequena meu pai me colocava em seu ombro e eu me sentia tão forte, achava que ali nada poderia me atingir pois estava hiper, mega, ultra, blaster protegida... E hoje vejo que estava mesmo...

Beijos
Ani

Universo Paralelo disse...

É uma viagem no tempo, muito bom recordar, e quanto aos bois falar com a gente, aff, imagina a vida seria uma tagarelice só rsrs adorei beijos

N. Barcelli disse...

É assim que se começa a ver a vida do alto...
Conversar com os animais? Ainda não temos inteligência suficiente para tal...
Beijo, querida amiga Carla Fernanda.

Rosemildo Sales Furtado disse...

Oi Carla! Conversação, acredito que não, mas comunicação sim, pois já é do nosso conhecimento.

Beijos e ótimo final de semana pra ti.

Furtado.

Toninhobira disse...

Viajei com voce, senti saudades do Rio Doce e deixo aletra desta musica:

O homem antigamente falava
Com a cobra, o jaboti e o leão
Olha o macaco na selva
Não é macaco baby, é meu irmão
Porém durou pouquíssimo tempo
Essa incrível curtição
Pois o homem rei do planeta
Logo fez sua careta
E começou a sua civilização
Agora já é tarde
Ninguém nunca volta jamais
O jeito é tomar um foguete
É comer desse banquete para obter a paz
Que a gente tinha quando falava com os animais
Que a gente tinha quando falava com os animais.(Samba dos animais)

Um abraço nesta saudade.
Bju de luz.

Eduardo Medeiros disse...

oi carlinha, tudo bem?

muito legal essas lembranças...já comigo era diferente: eu tinha muito medo de boi. minha mãe nos dizia que roupa vermelha atraia o bicho e ele atacava quem estivesse usando tal cor...rss

carla,queria te informar que vou deixar de atualizar o botequim e um outro blog que tenho por absoluta falta de tempo; cuidar do eduardinho durante o dia está me tomando todo o tempo. mas está sendo uma experiência incrível!!!

vou atualizar somente um blog mais antigo que eu tenho e que talvez você não conheça:

olharotempo.blogspot.com

quando quiser aparecer por lá, será um prazer, como sempre.

beijos e bom domingo.

Eduardo Medeiros disse...

ah, esqueci de dizer: eu já falo com bichos...rsssssss

Carla Fernanda disse...

Toninho essa eu não conhecia não...kkkkkkkkkkkkkk....só mineiro para saber dessa viu!! Muito legal!

Carla Fernanda disse...

Edu tinha isso da roupa vermelha mesmo....kkkkk... o toureiro sei que usa capa vermelha.....kkkkk

Su disse...

boa noite moça poesia...

que lindo seu texto e me encheu de lembranças e saudades também...

passando pra deixar uma beijoka e desejar um lindo domingo...

muito trabalho por aqui, esse semestre promete!

Su.

Leonel disse...

Que paisagem! Parecem as coxilhas do sul!
Carla, as pessoas podem sim falar com os animais, mesmo não sendo Dr. Doolittle.
Às vezes, eu falo com eles e eles me entendem perfeitamente. E eu também os entendo.
Abraços, e bom domingo!

Sandro Ataliba disse...

Muitos homens já conversam com animais. Alguns, por serem muito sensíveis; outros, por não precisarem de respostas.

Maggie May disse...

saudades de ver o mundo dos ombros dele…
e de dançar sobre seus pés.

Everson Russo disse...

Gostosas lembranças e saudades,,,momentos vividos,,,caminhos percorridos,,,olha,,,seria interessante se o homem um dia pudesse se comunicar com os animais...beijos querida e uma linda semana pra ti.

Marcelo disse...

Carlinha, vc viajou no tempo hem! O local era conhecido como a baixada de Lobo. Já tomei muita água deste rio. Bons tempos, boas lembranças. O nosso querido Pai, tão paciente, amoroso, participativo, incentivador dos esportes lá em DS.
Beijos.

Carla Fernanda disse...

Eu já até afundei um barco que peguei escondido para passear norio lá certa vez...kkkk....outro dia vou contar Tielo!